domingo, 12 de setembro de 2010

LEITURAS

LEITURA




















Há uma palavra perdida

No interior do meu olhar...


Traz uma súplica

De amor

Embargada...

Um significado

Elementar

À compreensão do mundo


Está lá

Na impressão dolorida

Do nervo ótico

À espera irrompida

Dos dicionários















Sem definição

É uma única saudade

Que me prende

A todas as outras


É um verso único

Que se compõe

Em todos os outros


É uma forma absurda

De sentir

A outra palavra

Que também ficou perdida

No interior do seu olhar...

domingo, 5 de setembro de 2010

CATEDRAL AZUL

CATEDRAL AZUL


  Deixo hoje um texto em homenagem a Petrópolis, minha 'cidade escolhida'.


CATEDRAL AZUL
      ( Para a Catedral de São Pedro Alcântara, Catedral de Petrópolis, que me desperta com seus sinos e ilumina da magia minhas noites serranas)




Minha Catedral
rebatiza a noite
de 'Azul'...
Como mãos postas sobre a cidade
a torre mística ora



A névoa deita-se sobre os telhados
estendida em seus próprios lençóis


Minha cidade dorme
Abençoada


Valsam as cores ao vento
Bailam as árvores embalando o Templo


E os cavalos libertos das carruagens
voam sonhos alados
até os campanários


O sino proclama o açoite


Templários e cavaleiros
abrem as portas do paraíso


A Catedral onírica
flutua no espelho do rio
Seu leito comunga do rito


O Azul abarca
a água, a terra e o céu


Um paraíso pagão
sacraliza a noite em festa


Na tela pintada
Deus admira
as mãos dos Homens
que iluminam a Catedral.