segunda-feira, 1 de novembro de 2010

SENTIR

SENTIR




Toda forma de amor

É um sonho possível

No abstrato substantivo do sentir

 
O que a alma, o corpo e os olhos fazem

É nutrir de aurora

A emoção

Que de outrora trazem

 

 
A alma guarda o gosto na memória...

Sacraliza!

O corpo escandaliza o agora...

Realiza!

Os olhos encontram o amanhã além das horas...

Em buscas eternizam...

Vidas almejam vidas...

Amores não se saciam...

 
O que comanda o tempo

E concretiza o substantivo

Do amor

É a dimensão louca

Absurda

De seu único infinito beijo
 
(IMAGENS GOOGLE)