quarta-feira, 11 de maio de 2011

OLHARES SINGRADOS

                                    Olhares singrados




Nossas palavras, de mãos dadas, trocam de coração

Olhares singrados na pele das lágrimas,

Na ausência sem textura...

E neste papel coberto de duvidas sem compreensão.



Sumida a essência vive sem nós.

Pausa na solidão, para quê o amor mostre seu defeito.

Sumindo na abstração...

Ele não morre direito.



Meu amor! Preciso da sua voz...

Preciso da sua alegria...

Preciso da sua poesia.



Entrelaçadas as mãos numa essência tão pura.

Você é corpo do meu sorriso

Meu verso...

Minha ternura.



De Magela e Carmem Teresa Elias

Um comentário:

  1. Um sonho de poesia!
    Versos escritos em momento elevado de inspiração, e na mais perfeita sintonia!
    Aplausos a ambos!!!

    Amada, deixo de coração o meu carinho pra ti...
    Beijos

    ResponderExcluir

Receber um comentário é sempre bem-vindo...Sua participação é importante.