domingo, 18 de setembro de 2011

ABSTRAÇÃO DO SAL

Abstração do sal








Teus beijos trazem uma dor inserida...

Na intenção de outros beijos excedem ao amor,

Causando com versos outra ferida.



Sem explicar porque morrem depressa,

Tocando lábios com textura incerta,

Trazendo mil vontades; brisa encontrando a porta aberta...



E o tempo passando, tal qual, fera embravecida,

Quanto mais o coração vai pedindo calma é que se destranca a vida.

E pela falta de harmonia, carinhos se comprimem numa espera tão sofrida.



E teus lábios vêem morrendo a vontade na abstração do sal,

Fazendo que minha boca envelheça esperando sua chegada,

Sem tempo de entender porque te amar faz bem e mal.



                       Carmem Teresa Elias e De Magela  ( v.2)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receber um comentário é sempre bem-vindo...Sua participação é importante.