quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

DEDILHADO


Quando abro meu piano
O que toco e dedilho
É tua melodia em meu corpo

Em pianíssimo me allegro
Pela cadencia harmônica
Em que desliza o tato ao dedilhado

Entre as teclas
Andante apassionato
Sonoros suspiros e pausas

O tom do compasso?
Crescendo
Vivace
Presto

E novo ritmo
Acelero , Sforzando jazz
Spiritoso acorde
Bate junto

Scherzando com me
Tempo, contratempo
Braços, mãos, pernas
Sustenidos!

E no momento da valsa
Grazioso
Súbito leggero
Più leggero .Leggerissimo.

Silencio...
Melodia em êxtase

Erguem-se as mãos do teclado
Marfim e ébano suados
Pedal liberado

O movimento mais sublime
É nossa sinfonia sem tempo e sem fim

Suspiros....aplausos
Repertelo
Da capo al finale!

2 comentários:



  1. Te deseo un fin de semana
    tan hermoso como un abrazo,
    que en este momento
    contigo comparto.

    María del Carmen

    ResponderExcluir
  2. O erotismo pode ser extremamente delicado, se a linguagem é a certa, se é metafórica.
    Vir aqui é sempre uma alegria.
    Felizes festas e um 2012 cheio de paz e fraternidade.
    Eliane F.C.Lima (Poema Vivo)

    ResponderExcluir

Receber um comentário é sempre bem-vindo...Sua participação é importante.