domingo, 15 de janeiro de 2012

NAU PERDIDA ( COSTA CONCORDIA)

Nau Perdida






 Até o Mar,
Às vezes,
Perde...


Perde o percurso
Das naus.


Perde ante os rochedos incertos
E faróis apagados

É que até ao Mar
Um navio deixa saudade!!!




E na escuridão, o mar é só receios...
Naufragada barca da própria solidão e anseios...

Desconhece o mar os passos
Por onde aporto
Sobre as terras, desertos ou submersas ilhas.




Um mar, sem paixão
E sem recordação,
É mar vazio...

Mar só de receios,
Sem navios, Mar Sozinho,
Um mar de adeus...


    A todas as vítimas do Costa Concordia, passageiros, e à própria nau, vítima de seu infortunio.

Um comentário:

  1. A tristeza dos que ficam
    E a incognita surpresa dos que partem
    Permanece sem evoluir
    Na Inidoneidade
    De um aspirante exercendo
    Um cargo como amotinado sobre as leis...

    Walter de Arruda

    ResponderExcluir

Receber um comentário é sempre bem-vindo...Sua participação é importante.