quinta-feira, 1 de março de 2012

É METAFÍSICA DEMAIS !



Bem me lembro de tudo: falávamos em foco...

Gravei a palavra e o sentido.
Mas, vivia pensando em me permitir
Direções outras para sentir.

Testava experimentos com uma luneta...
Estudos e aplicações para ampliar as óticas
Foco, as distorções da lente, o distanciamento das imagens...
Observar o céu requer essa física confusa!
Quando olho os corpos celestes só me lembro de você e de poesia!
Junto tudo: termo, foco, céu e o conceito de idéias,
Há tantas coisas em nós que vão além da física ! Ironia...
A vida é sempre um questionamento, do quase-sem-hora a um novo problema

Mais se quiser, fica mais claro assim:
Quando estamos próximos, fazendo tudo juntos...
Compreendo outros mundos ...E quando sinto que falo muito
É porque você está cada vez mais perto de mim.

Desespero é tentar te escrever! Teorizar! Buscar hipóteses!
Quero saber mais, sim, desde que nisso exista você...
Sua caverna, sua tristeza, sua escolha e sua paz!
Ao extremo que confunde tudo, admito, entender você é metafísica demais!





(Criticar texto com uma parceira exigente demais...

Além de ela estar filosófica, dizia com olhar de navegante que não podia perder o foco. Brigamos. Que foco que nada! É metafísica demais; poesia e coisa abstrata


De Magela e Carmem Teresa Elias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receber um comentário é sempre bem-vindo...Sua participação é importante.