sexta-feira, 25 de maio de 2012

Anonimato em que pousam as palavras

Anonimato em que pousam as palavras




Palavras são sempre anonimatos...
É assim que criamos o que nos convém!
Amor, ternura, medo; faces secretas das criaturas...
Expressões líricas quase sem formosura que a vida contém.


Coisas tolas do dia-a-dia...
Palavras tolas de cada sentir, que parecem desnecessárias para se ouvir;
E que nas ilusões mesclam-se a todas as fantasias,
Num jeito de ser que sai misturado de vida com poesia...


Se junto estamos não sei o que dizer.
Mas junto o que sinto para escrever...
E o lirismo ultrapassa o anonimato em que pousam as palavras.


Um estado de espírito então se apossa e não sabe explica o momento!
Voz falando baixinho, aqui dentro na alma, como agora...
Esperando da sua boca um eco, sem o egresso de outrora.




De Magela e Carmem Teresa Elias.


Um comentário:



  1. Lo más bonito es la aurora de la mañana
    Y tu amistad el mejor regalo
    Que podía encontrar.

    Es un privilegio
    Que llenan mis bolsillos de estrellas
    Y los ojos se visten de acuarelas.

    Un abrazo soñando
    Y un beso versando

    María del Carmen


    ResponderExcluir

Receber um comentário é sempre bem-vindo...Sua participação é importante.