quarta-feira, 20 de junho de 2012

AZUL, POESIA EM DELÍRIO ( 2 versões)


EM TEMPOS DE RIO + 20 , UMA POESIA AO NOSSO PLANETA

por CARMEM TERESA ELIAS E WALTER DE ARRUDA


AZUL- POESIA EM DELIRIO

(Versão poética )

Entre

Ser e não ser

Sou, tudo que desejo ser

No deserto sou o muçulmano

Entre as estrelas me transformo

E sou o próprio tempo



Preso, atravesso

Dimensões em Liberdade...

O Planeta Azul e o Verde Esmeralda

São as minhas casas plenas de esperanças

Mas se permito, perdem a Consciência

Universal e ameaçam extinguir

Pelo equilíbrio a vida

Humana e viva

Superfície

Interior





Sou sim

Que desejo ser...

Doçura, beleza. delírio !

Em exequível botão se abre esta mente

E sonha, fantasia, futura, advém

Inesgotável fonte ébria

De florescer



Ser... De um guri

O olhar curioso, profundo azul

Dos mares do sul ao deserto , o tuareg

Ser a dilação do tempo, céus

E atravesso as dimensões...



Para observar a Terra

Desde perto ou de lá longe

Ser... É estender a textura azul...

Do planeta ao interior do homem

Em plácido infinito segredo,

Gravitar o sonho

Botão azul

Florescer

Universo

Enquanto a mente sente e vira Ente!

---------------------------------------
VERSÃO 2

(em prosa poética)

Entre

Ser e não ser

A Vida é tudo que deseja ser

Na paragem do deserto é o muçulmano,

Entre as estrelas se transforma

E, na Terra é o próprio tempo

Preso a atravessar

Dimensões em Liberdade...


 
O Planeta Azul e o Verde Esmeralda

A extensão de mares e a vivacidade das matas

São casas plenas de esperanças e se moradores perdem

A Consciência Universal e ameaçam extinguir

O equilíbrio da vida?



Humano e vivo...

Superfície e Interior

Da Terra e do Homem

Feitos um do outro


 
A vida é assim

Diferendo igual

Tudo que deseja ser...

Doçura, beleza. delírio !

Em exequível botão se abre esta mente

E sonha, fantasia, futura, advém

Inesgotável fonte ébria

De florescer



Ser... De um guri

O olhar curioso, profundo azul

Dos mares do sul ao deserto, o tuareg

Ser a dilação do tempo, céus

Através dimensões...



Para observar a Terra

Desde perto ou de lá longe

Ser... É estender a textura azul...

Do planeta ao interior do homem

Em plácido infinito segredo,

Gravitar o sonho

Botão azul

Florescer

Universo

Enquanto a mente sente e vira Ente!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receber um comentário é sempre bem-vindo...Sua participação é importante.