sexta-feira, 14 de setembro de 2012

VERSO QUEBRADO



Vou fechar-me num verso quebrado...!
Tirarei da análise um termo inventado.
Pegarei palavras finais de outro poema,
E direi bem alto que você é o tema.

Mesmo que para isso, precise entender seu lirismo.
Precise entender os detalhes que escondeu...
Da dor que fica sozinha morrendo
Na saudade que nasceu.

Conforta-me a brisa inquieta...
A que anda pelo mundo nas horas incertas
Dizendo que o amor é mais fecundo
Para quem deixa a porta aberta.

Mas teu amor vem aos poucos...
Por tudo se mantém guardado.
Fecha-se no entardecer morrendo...

E entre palavras e sentimentos
Os versos ficam quebrados.


 
     ( Um era só palavras. O outro era só sentimentos. Resolveram inverter. Deu no que deu.)

De Magela e Carmem Teresa Elias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receber um comentário é sempre bem-vindo...Sua participação é importante.