sexta-feira, 26 de outubro de 2012

SAUDADE É CONVULSÃO QUE AGITA AS ÁGUAS


 

Saudade é convulsão que agita as águas,

 Incerteza das marés claras e azuis.

 São lágrimas verdes que turvam os mares!

 Ilhas incertas que flutuam sem pares...

 

 Saudade é praia absurda!

 Sem continente, sem lares...

 Angústia de não conter litorais,

 e dúvida de não poder naufragar...

 

Dor absurda e desastre abissal

 Verdade que banha e faz acordar

 Nau que se atira e não chega ao final

 

Sentimento incerto

 Quantas margens comportam essa imagem?

 Mar de sentir atrocidades: sua falta é o deserto e o escombro do sal!

 

Carmem Teresa Elias e Roma Magela
 -28/09/2011

Um comentário:

  1. Boa tare, Teresa. Encontrei o seu blog e me deparei com belas poesias, que pincelei o olhar, mas que lerei com mais calma.
    Gostei também da parceria.
    Já estou seguindo seu espaço rico.
    Beijos na alma e paz!

    ResponderExcluir

Receber um comentário é sempre bem-vindo...Sua participação é importante.