domingo, 8 de julho de 2012


COPACABANA



COPACABANA





               Copacabana,

                Mar que me banha e me salga

                Postal de meu olhar

                Ilusão, alegria, realidade  e mar de  meu viver

               

                 Mar  que vem de longe

                 Trazendo  uma lágrima

                 um sorriso... um poema...

                 Vidas e segredos de outros tantos olhares!



                 Vem me banhar

                 da solidão despovoada das ilhas distantes

                 da angústia das tantas almas náufragas na vida

                 da mágoa de ostra por sua pérola ferida



                Copacabana  de ontem e de hoje

                Trazendo  ao alcance todo o mundo que vem de longe

                 De um passado anterior a mim

                 Presente, eterno porvir, quimeras e realidades tantas



                 Vem me banhar

                 da memória molhada do Tempo

                 Vem me banhar da brevidade de cada momento



                 Vem trazendo  vida

                 em suas ondas como quanta

                Vem  buscando um toque, um olhar, uma poesia

                 Para a outras praias também  levar.



                 Uma  história imensa que abarca o Rio que se fez  cidade 

                 Um infinito que clama por corpo e alma  

                 Sonho grandioso que se faz em  desfaz em grão de areia

                 Praia , pele, suor, risos e lágrimas, redenção....banho de mar!!!!

sábado, 7 de julho de 2012

EXISTÊNCIA






Hoje, adormeci
Vestida de existência

E de um sono tão forte
Não  mais distingo pesadelo e morte

São tão exóticos
Os conhecimentos que desarrumam os sonhos

O vício pela vida me executa:
A existência é nua!


E, sem vestes, acordo.
Será vigília, ou sorte?

(  Carmem Teresa Elias)

quinta-feira, 5 de julho de 2012

DURMO LUA, ACORDO SOL (3)


Durmo lua, acordo sol







Na luz de seus olhos,

Versos perfeitos não existem!

Nem tampouco na calma do mar...

E no sossego da boca.



O que existe é a leveza do desejo...

Que faz compreender que,

Durmo lua, acordo sol,

Na vontade louca que sinto de você!



Amor que não se restringe...

Poesia que não se sacia.

Corpos ensaiando mais emoções,

Almejando pelos olhos as mais breves intenções.



É na sutileza desse olhar...

Que liberto contente a fala.

E que, às vezes, em silêncio molhando lágrimas

Meu êxtase a vida não cala.



Carmem Teresa Elias e De Magela


DURMO LUA, ACORDO SOL (2)

DURMO LUA, ACORDO SOL ( 1)


DURMO LUA, ACORDO SOL



Você esqueceu que o amor existe

É intenso e em tudo persiste!

Esqueceu que durmo lua e acordo sol...

Esqueceu que após tudo consumado ainda resta um fim.



Se o amor existe e a tudo persiste

Por que o Universo não une você a mim ?


( Carmem T. Elias e De Magela)