quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

ENVOLVER É TER PALAVRAS


Envolver é ter palavras

 

 

 

Envolver-me contigo é ter sempre palavras...!

 Na fruição de ideias é também isentar do mundo,

 Abstrair da profundeza,

 E entender esse encontro de nossos corpos sem asas.

 

 
Seria possível ser feliz sem que nada mais nos faltasse?!

 Seria possível evitar esse envolvimento sem crases ou metáforas...?

 Seriam possíveis gerúndios e hipérboles...

 Como se a realidade acabasse?

 

 
Talvez, a felicidade seja a tua falta,

 Que sempre aparece envolta por palavras.

 Como se tudo em mim, te aceitasse assim,
 E te admirasse.

 

 São só palavras que envolvem tudo o que tenho,

 Mas também são palavras que não me isentam de amor!

 Futuro mais que perfeito...

 Onde está o seu abraço, para que a felicidade tenha cor?

 

 

 

De Magela/Carmem Teresa Elias

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Carnaval : problematização


Carnaval: problematização



 

Não tenho nada contra a nudez...

Ou com o prazer que faz minha terra parecer ingênua.

Mas um paraíso construído com alegria natural não pode ter a exploração

Que acontece na ocasião!

 

A maior festa pode ser  no Rio,

Num fundo de quintal

No morro

Ou no olhar de um menino.

 

Mas se predomina o dinheiro

E é estrangeiro...  tudo corre seu risco!

Vira objeto a festa, a alegoria, inclusive a mulher.

Poderia ser tão mais bela a Imagem de Paraíso...

 

Todos pelados a correr pela avenida,

Olhares leves ao invés de plumas

Sorrisos dispensando paetês

Poderia ser puro, alegre ou natural...

 

Exploração sexual! Paraíso para fins turísticos!

Mulher pelada na capa da revista,

Mundo de artistas... Exibicionismo...

Para que serve mesmo a popular cultura ?

 

Será que é bom ver essa imagem no fim?

Sair da avenida e lá longe, um gringo doido sem entender nada olha e diz :

Terra de índios, macacos, cobras selvagens...

Será que pegam bananas para almoçar em meio a árvores nessas florestas de plástico?

 

Pergunte se não acredita que nos vêem assim!

Quem sabe explicar o que significa todo esse enredo confuso, afinal?

Que história triste é contada nesse meu samba?

 

O carnaval atravessa uma avenida

E na apoteose, tudo desmancha,

Vira lixo, sucata e apuração !!!

 

Carmem Teresa Elias  E De Magela