sexta-feira, 29 de março de 2013

A VOZ FICOU CALADA


 


A voz ficou calada
 



 
 
Perdi-me no tempo.
 
Perdi o “gostei daquilo”...!
 
Perdi a desculpa
 
Que me deixaria tranquilo.
 
 
Ah! Se pudesse te dizer, poxa vida...
 
Mas teu vírus já passou por aqui,
 
Que vou dar um tempo!
 
Me perdi!
 

 
Pede uma explicação meu coração...
 
Justo no momento que acreditei estar feliz,
 
Mas quem bate sempre esquece,
 
A dor que não condiz.
 
 
Agora o peito está furado.
 
Está cheio de sinônimos, palavras e antônimos,
 
Que não posso fazer mais nada!
 
Na poesia me perdi: a voz ficou calada...
       
                                      Carmem Teresa Elias e De Magela


 
 

domingo, 24 de março de 2013

COLHEITA DA SEPARAÇÃO







 
E depois de plantar tanto

 juntos...

 a felicidade que seria de ambos

 se torna o celeiro de mágoas

 um do outro:

 colheita da separação !

 

                       Carmem e a separação

Parceiras


PARCEIRAS

 

Liberdade e Solidão

Caminham sempre juntas...

Lado a lado...

 

Invisíveis

Uma à outra
 

AUTORIA

AUTORIAS






É quando estamos muito, muito  felizes
Que percebemos que só  estamos falando  com nossa própria solidão
Embora a solidão de todos seja talvez a mesma
Ela nos isola e isola cada vez mais
E só a ela podemos falar,
Deixando à poesia, apenas  a palavra  adeus.

                             Carmem Teresa Elias e a solidão

terça-feira, 19 de março de 2013

TEMPESTADE




TEMPESTADE



Vou te deixar!!!
O amor não combina com ventos e tempestades...


Vinho derramado na mesa
Árvores derrubadas nas estradas


Punhos cerrados de raiva
... Eletricidade cortada nas casas

Parto em meio à tempestade:
Raios “Champagne de fogo” brindam a minha passagem:

Brigas são vaidades
O amor é a verdadeira claridade


( O estrago foi grande)


Paro meus passos
O Silêncio do céu é poderoso depois do estrondo


A lucidez retorna ao corpo encharcado:
Deveria estar ao seu lado


Ligo...

O celular não atende !!!


Sei que é ao seu redor
Que eu deveria estar

Estarão seus olhos também enternecidos pela tempestade?...
A ternura reinará? 
                                    Carmem Teresa Elias



...


sexta-feira, 15 de março de 2013

Rio Capital Da Poesia ( um poema homenagem ao evento)


RIO CAPITAL DA POESIA ( um poema em homenagem ao evento)

Sou mineiro...
Moro em São Paulo, mas gosto de Belém do Pará.
Sem parar fico assim: em pleno aceite,
... Gostando de misturar o café com o leite.

Que tal trocar tudo isso, por algo mais atualizado?
Modernizar o seu paladar, reparar no inusitado...?
Ao invés do seu café...
Que tal um licor de chocolate gelado?!

Sei não...
Mineiros são radicais:
Fora do mato sentem claustrofobia,
E com você o mesmo acontece!


Rio, Capital da Poesia...
Pode até ser, desde quê:
Eu esteja perto do mar, de versos inteligentes e doces...
E de você!

De Magela e Carmem Teresa Elias




POR UM RIO CAPITAL DA POESIA de 14 a 23 de março em diversos pontos do RIO de Janeiro !!

Evento Por Um Rio Capital Da Poesia

 
 
 
De 14 a 23 de março no Rio de Janeiro, todo dia é dia de poesia !!!

Uma Semana de Encontros Poéticos no Rio de Janeiro. Participem !!
Por Um Rio Capital da Poesia !!


segunda-feira, 11 de março de 2013

ABANDONAS


 

Abandonas...

 Lentamente retornas à  tua aurora,

 Como se lá buscasses  teu ouro.

 Deixas-me e, rápido, vai embora!

 

Será que também tens o dom de transformar-te?

 Que toda a saudade que me deixas,

 Qual febre no silencio da noite,

 É aquela que tanto negaste?

 

Abandonas-me, porque sabes o que sinto...

 Que de mim tens garimpado o ouro

 Revirando em meu peito todos os dias...

 Deixas-me , no amor duradouro. !

 

  De Magela / Carmem  Teresa Elias

sexta-feira, 8 de março de 2013

MULHER !!!


MULHER EM SOLIDÃO

Pela conscientização do muito que ainda há por vencer pela dignidade da mulher pelo mundo



 
MULHER EM SOLIDÃO !!

No abandono da cama,

 Na exploração da  rua

Na  África que mutila

No anonimato da burca,

 

Em  que pensa  uma mulher  em solidão?

 

Por certo não  pensa na vaidade das vestes, nem na elegância de um abraço

Não sei se ela esconde ou lembra  a dor que finge não ter...mas  que não pode esquecer!!

Deve ter um jeito próprio  de revirar sua alma na tristeza lançada

Sofrendo  sua dor calada , e ainda tentando sonhar...

 

Há toda uma força em uma mulher em solidão:

Uma certeza de si e um modo de não explicar mais nada

Nas ruas às vezes a solidão de uma mulher fica estampada

No jeito fascinante e triste com que esmaga com meu olhar

 

O que sinto é que em solidão

Uma mulher não pranteia jamais!...

Na madrugada açoitada, ela compreende toda a robustez da hora calma

E com uma ternura intensa desfila  um miúdo olhar sobre o mundo

 

Nesse jeito quieto e mudo esconde ou lembra

Que todos também temos algo que não podemos esquecer...

Toda mulher tem uma dor por vencer

 

 E é em solidão que toda mulher compreende que

O amor é um gesto muito simples, delicado como uma lágrima...

Que  pode estar na magnitude do mundo, ou na leveza de  em um único olhar

                   

                                 
                                                                                                       CARMEM TERESA ELIAS

domingo, 3 de março de 2013

LIBERDADE

Iniciando a semana do Dia Internacional da Mulher, uma reflexão para a conscientização do quão importante é continuar a luta em defesa da dignidade, respeito , liberdade para as mulheres pelo mundo a fora.


LIBERDADE

 

Mais intensa do que a luta

Mais profunda que a ferida

Mais precisa do que a vida

Mais humana do que pura,

 

Liberdade não é musa  de discursos

De governos, de bandeiras

Liberdade não é sonho, canção de Lenon,

Nem utopia de imorais

 

Liberdade é direito !

O inalienável direito que cinge o medo, a ignorância e o preconceito.

Portanto, sê fiel, sê fiel a essa guerreira !

 

Porque o mundo é a prisão que ilude pela amplitude,

Como grades, a estrada é longa, mas estreita,

E a luta, intensa !!