domingo, 5 de setembro de 2010

CATEDRAL AZUL

CATEDRAL AZUL


  Deixo hoje um texto em homenagem a Petrópolis, minha 'cidade escolhida'.


CATEDRAL AZUL
      ( Para a Catedral de São Pedro Alcântara, Catedral de Petrópolis, que me desperta com seus sinos e ilumina da magia minhas noites serranas)




Minha Catedral
rebatiza a noite
de 'Azul'...
Como mãos postas sobre a cidade
a torre mística ora



A névoa deita-se sobre os telhados
estendida em seus próprios lençóis


Minha cidade dorme
Abençoada


Valsam as cores ao vento
Bailam as árvores embalando o Templo


E os cavalos libertos das carruagens
voam sonhos alados
até os campanários


O sino proclama o açoite


Templários e cavaleiros
abrem as portas do paraíso


A Catedral onírica
flutua no espelho do rio
Seu leito comunga do rito


O Azul abarca
a água, a terra e o céu


Um paraíso pagão
sacraliza a noite em festa


Na tela pintada
Deus admira
as mãos dos Homens
que iluminam a Catedral.

6 comentários:

  1. Nossa amiga! Uma linda e mágica homenagem!
    Aplausos sempre a ti!!! Deixo-te um abraço
    e meu carinho... Bjsss

    ResponderExcluir
  2. nossa que paz que tras este lugar... O paraíso é feito de todas as pessoas por isso adorei a mistura de pagão e cristão unidos no mesmo paraíso...
    Adorei, é uma pena que muitos ainda não consigam ter esta visão do paraíso que você tem...

    Muito obrigado pela visita e espero q volte sempre... assim como voltarei aqui..

    ResponderExcluir
  3. Poemas de um realismo provocante... parabéns...

    ResponderExcluir
  4. Minha amiga!!
    Que honra estar aqui literalmente vivendo tua poesia!!!
    Um poema absoluto...impossível não mergulhar nele, ver desfilando cada detalhe!
    Parabéns pela visão perfeita concedida por tua poesia!!
    Beijo minha amiga
    Bea

    ResponderExcluir
  5. Um presente de tua infancia...

    Faz
    Tempo
    Hoje foi
    O momento certo
    De voltar a minha infancia...

    Entrar... Dar um espiada
    Ajoelhar, uma oração
    E subir correndo
    Os degraus
    Muitos...

    Os sinos
    Iniciam a musica
    Para um lado e outro
    Mais depressa musica do céu
    Adoro esse toque
    Volto a ser
    Criança...

    ResponderExcluir
  6. As catedrais sempre trouxeram sonhos aos poetas e renderam bons frutos. Está lá, no Simbolismo, nosso Alphonsus de Guimaraens. Está cá nossa Carmem Teresa. E atrás dos dois uma legião de leitores sonhadores também.
    Eliane F.C.Lima (http://conto-gotas.blogspot.com)

    ResponderExcluir

Receber um comentário é sempre bem-vindo...Sua participação é importante.