quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

QUANDO O GUERREIRO CEDE


Quando o guerreiro cede

 

O acaso e o amor...

 Sombra doce que vaga a procura de campos e flores,

 Da chuva que só acontece na alma...

 E se eu te amar agora; é acaso. Mas se casar contigo é destino!

 

Destino é o senhor de tudo.

 Grande guerreiro que com nada se importa...

 Despreza momentos de fraqueza e solidão.

 Valoriza o que consigo dominar em meu coração!

 

Para alguns, acaso, destino e amor são coisas que vivem escondidas!

 Não tendo rumo certo, necessitam de alguém que os viva;

 Efeito natureza, na existência escondida.

 

É quando o guerreiro despreza, luta, perde e cede...

 Ficaria meu amor a se vangloriar, por dominar essa guerra...

 De acaso, do destino e da vida?

 

De Magela/Carmem Teresa Elias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receber um comentário é sempre bem-vindo...Sua participação é importante.